<< Mensagem Anterior | Próxima Mensagem >>Voltar ao Índice  

A VARA DE AARÃO FLORESCE

August 5 2008 at 10:44 AM

  (Login tec.fiuza)
Membro VIP

 
A Paz em Cristo Jesus!

Fé e história....


(Números 17: 6 – 9)

Moisés enfrentou em seu ministério dois casos sérios de rebelião. O primeiro ocorreu quando Miriã, sua irmã mais velha, se levantou com Aarão, criticando-o por haver tomado uma mulher cusita (etíope) como esposa. Por causa disso o Senhor tornou Miriã leprosa por sete dias.
O segundo caso foi quando Coré, Datã e Abirão, e mais duzentos e cinquenta homens se ajuntaram para questionar a autoridade de Moisés e Aarão.

1.Esta rebelião foi causada pelo fato de Moisés e Aarão não possuírem nada visível, como símbolo de sua autoridade, que os identificasse como servos levantados pelo Senhor para conduzir o povo de Israel até a terra prometida. Coré, Datã e Abirão, que eram levitas, colocaram em dúvida esta autoridade e se rebelaram. Eles argumentaram que a congregação era santa e que o Senhor estava no meio dela, e que não havia necessidade da liderança de Moisés e Aarão. Eles queriam ser sacerdotes também, reivindicando o direito de opinar nos assuntos de governo do povo e requerendo para si o direito de sacrificar e interceder por ele a Deus.

2. A atitude assumida por Coré e seus companheiros é vista hoje em dia na religião, pois ela levada pelas aparências, tem se levantado e proclamado no meio de todos sua posição de primazia e eleição por parte de Deus. No entanto, não é a simples autoproclamação, a condição necessária para se estar diante d’Ele e servi-Lo, e sim a escolha feita por Ele mesmo.
A atitude de rebeldia daqueles homens contra Moisés e Aarão, foi uma atitude contra o Senhor. Por isso eles foram julgados imediatamente, sendo tragados vivos pela terra que abriu a sua boca e os engoliu. Também saiu fogo de diante do Senhor e consumiu os duzentos e cinquenta homens que se ajuntaram os rebeldes.
No dia seguinte toda a congregação murmurou contra Moisés e Aarão, e o Senhor mandou uma praga que matou catorze mil e setecentos homens.

3. A partir daí Deus ordenou que cada príncipe das doze tribos de Israel, trouxessem uma vara de amendoeira, cada uma com o nome da tribo correspondente escrito nela, e que as colocasse dentro da tenda do testemunho, para que a vara do servo a quem o Senhor escolhera florescesse, a fim de que a dúvida fosse sanada e a murmuração cessasse.
No dia seguinte, quando Moisés entrou na tenda, a vara de Aarão, pela tribo de Levi, havia florescido dando flores, renovos e frutos. Desta forma o Senhor mostrou quem era o escolhido e quem poderia estar diante d’Ele.

Assim é a Obra de Deus. Não é a autoproclamação ou outras coisas aparentes, vindas do homem, que vão determinar quem pode estar diante do Senhor para servi-Lo. Nós todos somos como varas secas e sem vida, mas quando o Senhor nos escolhe, segundo a sua misericórdia, florescemos e ganhamos vida espiritual, nascemos de novo e o Espírito Santo gera em nós os frutos do Espírito. Desta forma podemos permanecer diante do Senhor, não com palavras simplesmente, mas com a evidência das flores (dons), dos renovos (vida nova cada dia) e dos frutos (santificação, obediência).
A amendoeira significa “despertar”.


Graça e Paz vos sejam multiplicadas, pelo conhecimento de Deus, e Jesus nosso Senhor!


Fraterno abraço, carlos.fiuza

 
 Respond to this message   
AuthorReply


(Login tec.fiuza)
Membro VIP

Pela Graça e pela Misericórdia....

August 7 2008, 7:03 AM 

O Engano da Restituição e do direito do crente.
Por José S.de Mello

“Restitui! Eu quero de volta o que é meu!”
Esta frase extraída de uma canção “evangélica” me faz lembrar a petulante atitude do Filho Pródigo

quando disse: “Pai, dá-me a parte dos bens que me cabe”. E quão diferente não foi a atitude deste mesmo filho, que, anos mais tarde, arrependido, apresenta-se diante do pai com o coração quebrantado, humilde, e nada reivindica, pois, agora, está consciente de não possuir direito algum diante do pai. Observe que ele nem mesmo se sente digno de ser tratado como filho.

Ele confessa o seu pecado e passa a contar apenas com a misericórdia do pai.
Nem o Filho Pródigo e nem Jó em seus momentos de angústia cantaram ou clamaram algo parecido com: "restitui, eu quero de volta o que é meu". Quando Jó perdeu tudo, ele exclamou:“O Senhor deu, o Senhor levou, bendito seja o nome do Senhor”. Jó, mesmo sendo considerado uma pessoa justa, sabia que tudo na vida era uma dádiva e que nada era dele por direito.

Não considerava nada como sendo realmente seu, pois sabia que tudo pertencia ao Senhor.
Pensando bem, se o salário do pecado é a morte, então, o que os pecadores teriam de fato por “direito” seria a morte. Por isto, o profeta Jeremias diz que as misericórdias do Senhor são o motivo de não termos sido consumidos (Lm 3:22). E diz mais ainda em 3.39: “Do que se queixa o ser vivente? Queixe-se cada um dos seus próprios pecados”.

Clamar a Deus: “Restitui! Eu quero de volta o que é meu!” soa tão arrogante quanto a oração do fariseu que se sentia cheio de direitos diante de Deus. Jesus diz que tal prece foi ignorada por Deus, enquanto a humilde oração de arrependimento do publicano pecador achou graça aos olhos de Deus (Lc 18.14). Pois sabemos que “Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes” (Tg 4:6).

É neste sentido que as crianças nos servem como modelo, não por sua inocência, mas por sua incompetência. As crianças estão de mãos vazias, não têm passado e não possuem uma folha de serviços prestados para apresentar como base de suas pretensões e reivindicações de direitos.
Como crianças se tornaram o Profeta Isaías que, consciente de não poder subsistir diante de Deus na base de seus próprios méritos, clamou por misericórdia, dizendo: “Aí de Mim...” (Is 6);
João Batista que disse não ser digno de desatar as sandálias de Cristo (Jo 1.27),
o centurião, que disse não ser digno de que Cristo entrasse em sua casa (Mt 8.8),
o publicano que quando orava, “não ousava nem ainda levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, sê propício a mim, pecador!” (Lc 18:13);
o Filho Pródigo, que disse não ser digno de ser chamado de filho (Lc 15.19),
o cego de Jericó, que mendigava e clamava por misericórdia (Lc 18.35s);
a mulher sírio fenícia, que não se sentia digna de comer à mesa dos filhos, mas que se satisfaria com as migalhas que caíssem da mesa do Senhor (Mt 7.26s);
Pedro, que prostrou-se aos pés de Jesus, dizendo: Senhor, retira-te de mim, porque sou pecador (Lucas 5:8);
Paulo que disse ser o maior dos pecadores e indigno de ser chamado Apóstolo (1Co 15.9);
e tantos quantos reconhecerem sua indignidade, sua incompetência, sua inadequação, e, pobres de espírito e desprovidos de qualquer pretensão e noção de direito, se apresentaram de mãos vazias diante de Deus esperando por sua misericórdia e graça.

Jesus disse aos líderes religiosos dos judeus que estavam confiantes em sua noção de direito decorrente do fato de serem descendentes de Abraão:
“Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento e não comeceis a dizer entre vós mesmos:

Temos por pai a Abraão; porque eu vos afirmo que destas pedras Deus pode suscitar filhos a Abraão” (Lc 3:8).
Não devemos, portanto, nos apresentar diante de Deus reivindicando o que quer que seja na base de um pretenso direito. Tal idéia é um atentado ao Evangelho da Graça.
Graça é dádiva imerecida. Portanto, não temos direito a nada, pois tudo o que recebemos das mãos de Deus é resultado de sua amorosa graça.
Aprendamos, portanto, a orar com o Profeta Daniel: “não lançamos as nossas súplicas perante a tua face fiados em nossas justiças, mas em tuas muitas misericórdias” (Dn 9:18).

Vemos também um outro vento novo de doutrina, que está sendo, baseada em Joel 2.25, está sendo ensinado que tudo o que nos foi roubado pelo adversário (malígno), estará sendo restituído por Deus: “Restituir-vos-ei os anos que foram consumidos pelo gafanhoto migrador, pelo destruidor e pelo cortador, o meu grande exército que enviei contra vós outros.”
Mas o próprio versículo deixa claro que este exército de gafanhotos não foi enviado pelo adversário, mas, sim, por Deus, com intuito de disciplinar, corrigir e ensinar seu povo.

Outro problema também é atribuirmos ao adversário os nossos infortúnios e nos esquivarmos de nossa responsabilidade pessoal. É interessante notar que, diante deste quadro, o profeta Joel não conclama o povo a um clamor de restituição, mas, sim, a um clamor de arrependimento (2.12-15). Corações quebrantados, contritos e humildes nunca são rejeitados por Deus: “Sacrifícios agradáveis a Deus são o espírito quebrantado; coração compungido e contrito, não o desprezarás, ó Deus” (Sl 51:17; Ver também: Is 57.15 e 2 Cr 7.14).

Quando Deus promete restituir, isto se deve a sua misericórdia e graça e não a qualquer espécie de obrigação, pois Deus nada deve ao ser humano, mas somos nós quem lhe devemos tudo.

Pois “quem primeiro deu a ele para que lhe venha a ser restituído? Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém!” (Rm 11.35,36).

Graça e Paz vos sejam multiplicadas, pelo conhecimento de Deus, e Jesus nosso Senhor!

Fraterno abraço, carlos.fiuza

 
 Respond to this message   


(Login tec.fiuza)
Membro VIP

Pela Misericórdia e pela Graça...

August 7 2008, 8:04 AM 

Me desculpem:
A ordem dos fatores altera o produto!

Onde se lê: Pela Graça e pela Misericórdia...
Leia-se: Pela Misericórdia e pela Graça...

 
 Respond to this message   


(Login mbaez)

Fiuza.

August 7 2008, 10:43 AM 

Graça e paz do Senhor Jesus Cristo.
Amado, dou Glórias ao Senhor pela sua vida.
Que o Senhor continue a derramar a Sua Graça sobre ti.
Tens sido uma benção aqui no fórum, para o louvor e Glórias ao Senhor.

 
 Respond to this message   


(Login tec.fiuza)
Membro VIP

As coisas em seus devidos lugares!

August 9 2008, 6:24 AM 

A Paz em Cristo Jesus!

Quando será que o “homem” deixará contender com Deus e dar-lhe instruções?
Quando será que o “homem” reconhecerá sua própria insignificância à luz da grandeza de Deus e prometer ficar calado?
Quando se lembrarão da atitude e as palavras de Jesus desde os lava-pés?

Vamos colocar as coisas em seus devidos lugares:

Um singular conhecimento exato:

(Jó 38: 2 a 41)

2 Quem é este que escurece o conselho com palavras sem conhecimento?
3 Agora cinge os teus lombos, como homem; e perguntar-te-ei, e tu me ensinarás.

4 Onde estavas tu, quando eu fundava a terra? Faze-mo saber, se tens inteligência.

5 Quem lhe pôs as medidas, se é que o sabes? Ou quem estendeu sobre ela o cordel?

6 Sobre que estão fundadas as suas bases, ou quem assentou a sua pedra de esquina,
7 Quando as estrelas da alva juntas alegremente cantavam, e todos os filhos de Deus jubilavam?

8 Ou quem encerrou o mar com portas, quando este rompeu e saiu da madre;
9 Quando eu pus as nuvens por sua vestidura, e a escuridão por faixa?

10 Quando eu lhe tracei limites, e lhe pus portas e ferrolhos,
11 E disse: Até aqui virás, e não mais adiante, e aqui se parará o orgulho das tuas ondas?

12 Ou desde os teus dias deste ordem à madrugada, ou mostraste à alva o seu lugar;
13 Para que pegasse nas extremidades da terra, e os ímpios fossem sacudidos dela;
14 E se transformasse como o barro sob o selo, e se pusessem como vestidos;
15 E dos ímpios se desvie a sua luz, e o braço altivo se quebrante;

16 Ou entraste tu até às origens do mar, ou passeaste no mais profundo do abismo?
17 Ou descobriram-se-te as portas da morte, ou viste as portas da sombra da morte?

18 Ou com o teu entendimento chegaste às larguras da terra? Faze-mo saber, se sabes tudo isto.

19 Onde está o caminho onde mora a luz? E, quanto às trevas, onde está o seu lugar;
20 Para que as tragas aos seus limites, e para que saibas as veredas da sua casa?
21 De certo tu o sabes, porque já então eras nascido, e por ser grande o número dos teus dias!

22 Ou entraste tu até aos tesouros da neve, e viste os tesouros da saraiva,
23 Que eu retenho até ao tempo da angústia, até ao dia da peleja e da guerra?

24 Onde está o caminho em que se reparte a luz, e se espalha o vento oriental sobre a terra?


25 Quem abriu para a inundação um leito, e um caminho para os relâmpagos dos trovões,
26 Para chover sobre a terra, onde não há ninguém, e no deserto, em que não há homem;
27 Para fartar a terra deserta e assolada, e para fazer crescer os renovos da erva?


28 A chuva porventura tem pai? Ou quem gerou as gotas do orvalho?

29 De que ventre procedeu o gelo? E quem gerou a geada do céu?

30 Como debaixo de pedra as águas se endurecem, e a superfície do abismo se congela.

31 Ou poderás tu ajuntar as delícias do Sete-estrelo ou soltar os cordéis do Órion?

32 Ou produzir as constelações a seu tempo, e guiar a Ursa com seus filhos?

33 Sabes tu as ordenanças dos céus, ou podes estabelecer o domínio deles sobre a terra?

34 Ou podes levantar a tua voz até às nuvens, para que a abundância das águas te cubra?

35 Ou mandarás aos raios para que saiam, e te digam: Eis-nos aqui?

36 Quem pôs a sabedoria no íntimo, ou quem deu à mente o entendimento?

37 Quem numerará as nuvens com sabedoria? Ou os odres dos céus, quem os esvaziará,

38 Quando se funde o pó numa massa, e se apegam os torrões uns aos outros?

39 Porventura caçarás tu presa para a leoa, ou saciarás a fome dos filhos dos leões,
40 Quando se agacham nos covis, e estão à espreita nas covas?

41 Quem prepara aos corvos o seu alimento, quando os seus filhotes gritam a Deus e andam vagueando, por não terem o que comer?



Um singular sentido verdadeiro:

(Lucas 22: 26-27)
26 Mas não sereis vós assim; antes o maior entre vós seja como o menor; e quem governa como quem serve.
27 Pois qual é maior: quem está à mesa, ou quem serve? Porventura não é quem está à mesa? Eu, porém, entre vós sou como aquele que serve.


Graça e Paz vos sejam multiplicadas, pelo conhecimento de Deus, e Jesus nosso Senhor!

Fraterno abraço, carlos.fiuza



P.s.: Essa é do meu intimo racional:

“Os Estudantes da Bíblia, antigo nome, não deveria aplicar o conhecimento exato para reconhecer que o termo em Isaías 43:10 aplica-se para o povo da promessa ,os judeus e não os gentios? Ou também já mudou-se a promessa?


 
 Respond to this message   

(Login lac123551)

participativa

January 29 2011, 3:06 PM 

Irmão, a paz de nosso senhor Jesus Cristo.

li por "Deuscidência" seu comentário sobre o "restitui",no começo quis concordar mas algo no meu coração me questionava, o irmão que compôs esta canção deve ter feito em tempo de oração por conta de que a mesma toca milhares de corações, portanto refleti e agora peço tua análise. Quando se canta restitui logo em seguida canta-se também que os planos que foram embora e o sonho que se perdeu, o que era festa e agora é luto.... ...não podes pensar que este é teu fim não é o que DEUS planejou... veja quando se canta restitui o que se entende, quando analisando todo contexto da letra, é que o que se pede é a restituição exatamente daquilo que o senhor deu e nós "perdemos" e não como o filho pródigo que exigiu sua parte, creio que cantando assim estamos dizendo Senhor estou de volta pra viver o que o Senhor tem pra mim, eu acredito que Tu tens o poder de restaurar minha vida e de restituir tudo o que me destes e eu perdi.

gostaria de vossa opinião a esse raciocinio.

que o senhor o abençoe e te guarde, e que Maria a Mãe de nosso Senhor interceda por todos nós.
abraço.
lac123551

 
 Respond to this message   

(no login)

Re: participativa

July 11 2012, 6:46 PM 

SÓ A UM INTERCESOR JESUS CRISTO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

 
 Respond to this message   

(no login)

Re: participativa

July 11 2012, 6:47 PM 

SÓ A UM INTERCESOR JESUS CRISTO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

 
 Respond to this message   


(Login tec.fiuza)
Membro VIP

Re: A VARA DE AARÃO FLORESCE

August 12 2008, 6:58 AM 

O "Verdadeiro Conhecimento" que conduz a vida eterna....

Na noite de sua agonia, e poucas horas antes de sua paixão, o Senhor Jesus , no cap. 17 do evangelho de João, proferiu o que tem sido comumente chamado, há quase cinco séculos pelos cristãos ,

“de Oração Sacerdotal do Senhor”, pois nela o Senhor ora por: Sua própria glorificação, proteção, santificação, unidade, e glorificação definitiva dos crentes.

Ao perscrutar esse belíssimo capítulo de João 17, Filipe Melanchton (1497-1560), alemão, teólogo da reforma, amigo de Lutero, conseguiu expressar o ponto de vista que os servos de Deus, em todos estes séculos de cristianismo, possuem a respeito dessa passagem bíblica: “nenhuma voz já se ouviu na terra, ou no céu, com maior arrebatamento, nem mais santa, mais frutífera, mais sublime, do que a do próprio Filho de Deus nesta oração”.


O texto de João 17 apresenta ainda argumentos incontestáveis acerca da deidade de Cristo. Por esse motivo, vários grupos religiosos heréticos do passado e do presente, esforçam-se arduamente para pervertê-lo.

É bem provável que você tenha ouvido inúmeras vezes elas citarem João 17: 3 em conexão com o oferecimento de um “um estudo grátis da Bíblia”.

Por essa razão, é importante que conheça o principal engano que cometem acerca desse texto. Isso auxiliará a compreender o conceito de salvação adotado –“... “O conhecimento” conduz a vida eterna....”

Tradução Fidedigna
João 17:3 “... que te conheçam, o único Deus verdadeiro...”

outra tradução:
João 17:3
“... que absorvam conhecimento de ti, o único Deus verdadeiro,...”

Por que essa tradução esdrúxula do verbo grego – ginosco (conhecer) por “absorver conhecimento?

O Que Significa “Absorver Conhecimento de Deus e de Jesus”,

Tentando sustentar esta inserção (como usualmente costumam fazer com outros versículos que depõem contra suas doutrinas), citando fora do contexto vários eruditos bíblicos, com o intuito de dar um toque de erudição a sua forma “racionalista e incorreta” de ver o versículo.

W. E. Vine em a Expository Dictionary of New Testament Words, VII p. 297 a 299, onde “GINOSKO significa estar assimilando conhecimento, chegar a conhecer, entender completamente.”

Assim, estão limitando a definição e uso do vocábulo, que é analisado por W. E. Vine nas páginas seguintes, forçando a noção de que o conhecimento mencionado no versículo é meramente doutrinário; entretanto, o dicionarista W. E. Vine, na página 298 da obra mencionada continua: “No N.T. Ginosco freqüentemente indica uma relação entre a pessoa que está conhecendo e o objeto conhecido...” Vine prossegue: “Tal conhecimento é obtido não por mera atividade intelectual, mas pela operação do Espírito Santo resultante da aceitação de Cristo.”

O conhecimento a que João em seu evangelho se reporta é portanto espiritual; é travar um relacionamento íntimo e pessoal com Deus, compreendendo amor, apreço e comunhão (I Jo 4:7,8). Naturalmente, esse texto implica ter algum conhecimento doutrinário, mas a ênfase que encontramos é decididamente diferente das suposições racionalistas apresentadas.

Outro ponto fundamental que encontramos nesse versículo é que tal conhecimento é revelado e personificado em Jesus Cristo. Ele mesmo é Deus manifestado na carne (Jo 14: 6-9; I Jo 2.23). Conhecimento do Revelador é o mesmo que o conhecimento do Deus que é revelado. Formidável é a reflexão que Robert Bowman, em seu livro (“Por que Devo Crer na Trindade”, p. 127, 128, Editora Candeia, 1996) faz de João 17:3. Ele diz: “Isso seria estranho se Jesus fosse simplesmente o mais sublime entre todos os seres criados, mas apropriado se, conforme já comprovamos, Jesus é Deus... Se o Filho fosse uma criatura, deveria ser possível conhecer a Deus à parte daquela criatura. Mas ninguém o pode, porque Jesus é Deus.” É impossível conceber como o mensageiro podia ser um Revelador adequado de uma pessoa, de cuja natureza não participa.

Resumindo:

Pode-se chamar isto de "anelo Mental", "conhecimento exato" ou podemos chamr astúcia da serpente!

Passam longas horas na busca do “conhecimento exato”, lendo e relendo as palavras de seus líderes, “sempre aprendendo, mas nunca são capazes de chegar ao conhecimento da verdade” (II Tm 3.7).

Sua maneira de conhecer a Deus é superficial e insípida. Não é a maneira filial em que a Graça Salvadora de Nosso Pai Celeste se manifesta em Cristo Jesus para conosco em afeição pessoal e ação redentora.

É possível que esse texto justifique e ratifique aquela “Falácia Retórica”.

carlos.fiuza

 
 Respond to this message   


(Login tec.fiuza)
Membro VIP

Re: A VARA DE AARÃO FLORESCE

August 14 2008, 1:14 PM 


Provação e Queda do Homem!

Deus criou o homem puro e bom, com todas as qualidades indispensáveis a uma vida feliz na terra;

Mas Deus também dotou-o da liberdade de escolha (livre arbítrio).

A Divindade Onipotente,Onipresente e Onisciênte de Deus, não saberia o que estava criando?

Em sua “sabedoria inquestionável” não saberia o que iria acontecer quando sua criação fosse provada (exatamente pela astúcia da serpente)

Deus (Adohnaí), Único Onipotente, Onipresente, Onisciênte, já sabia que haveria pura e simplesmente uma atitude.

Desobediência.

Diante dessa atitude (pura e simplesmente - desobediência de um diálogo astuto e perverso) perdeu o homem o seu estado de pureza e sujeição ao estado de morte física e espiritual.

Vemos:
- A escolha do homem
-
- A conseqüência dessa escolha
-
- E o mais maravilhoso (plano B) para a Salvação do Homem, a primeira profecia Divina logo após a queda.

Prova inconfundível do amor de Deus:
O homem seria redimido do seu pecado.
Gênesis 3.15

“E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar”.

Esse é o nosso Jesus Cristo!!!!!!

Adão e Eva tentaram cobrir sua nudez com “folhas de figueira”

A Figueira nos lembra o que? O que a Bíblia nos ensina sobre a Figueira?

Com tudo foi necessário, também o primeiro sacrifício para a vergonha do homem....

Da mesma forma que foi necessário a morte do “Cordeiro” que tira o pecado do mundo.

Sem ele não há Salvação!!!!!!! Ele a ponte até Deus, é o caminho da verdade!

Louvado seja o seu nome Jesus!

Graça e Paz vos sejam multiplicadas, pelo conhecimento de Deus e Jesus nosso Senhor!


carlos.fiuza


“Fala, Senhor, porque o teu servo ouve” (1Sm3:9)





Como Ler e Estudar a Bíblia!!!

As vezes Lemos e estudamos muito e aprendemos ou retemos pouco ou nada.

Isto em parte acontece pelo fato de lermos e estudarmos sem ordem nem método.
Embora sucinta, a orientação que sugerimos, ser-lhe-á muito útil.


2-Ajuda Divina

Ore a Deus dando-lhe “graças” e suplicando direção e iluminação do alto.
Deus pode vitalizar e capacitar nossas faculdades mentais quanto a leitura e estudo da Santa Palavra mediante a ação do Seu Espírito Santo.

Nosso Consolador permite fluir, iniciando em nosso coração, passando pela mente, chegando a alma, e retornando mediante a ação do Espírito Santo. Num ciclo contínuo e revitalizador. A ineficiência de qualquer uma dessas fases quebra o ciclo síncrono com o Criador Deus (Adhonaí)

2-Tenha à mão

Bíblia , Se possível em mais de uma versão
Dicionário Bíblico
Atlas Bíblico
Concordância Bíblica
Um caderno para apontamento individuais. (habitue-se a sempre tomar notas de suas leituras, estudos e meditações.


 
 Respond to this message   


(Login tec.fiuza)
Membro VIP

Re: A VARA DE AARÃO FLORESCE

August 16 2008, 5:44 PM 

Devemos saber que:

Jesus Cristo e o Pai são um. 10:22-42.

1. Jesus no alpendre de Salomão na festa da dedicação no inverno. v. 22-23.
Esta festa começou entre o Velho e o Novo Testamentos na época dos Macabeus.

22 E em Jerusalém havia a festa da dedicação, e era inverno.
23 E Jesus andava passeando no templo, no alpendre de Salomão.

2. Os judeus exigem saber se és o Cristo. v. 24-26. Jesus respondeu que já tinha dito, mas eles não aceitaram. Porque? Veja v. 26.

26 Mas vós não credes porque não sois das minhas ovelhas, como já vo-lo tenho dito.

3. A Preservação e Perseverança Eterna das ovelhas proclamada. v. 27-30.
Ela são protegidas e guardadas pelo poder de Deus.

27 As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem;
28 E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão.
29 Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai.
30 Eu e o Pai somos um.

4. Os judeus desejaram apedrejá-lo. v. 31-33. Porque? Porque si fez igual a Deus. Acusaram-o de blasfêmia.

31 Os judeus pegaram então outra vez em pedras para o apedrejar.
32 Respondeu-lhes Jesus: Tenho-vos mostrado muitas obras boas procedentes de meu Pai; por qual destas obras me apedrejais?
33 Os judeus responderam, dizendo-lhe: Não te apedrejamos por alguma obra boa, mas pela blasfêmia; porque, sendo tu homem, te fazes Deus a ti mesmo.

5. Jesus defendeu a sua divindade. v. 34-38.
Mas, os religiosos não queriam ouvir a verdade.

34 Respondeu-lhes Jesus: Não está escrito na vossa lei: Eu disse: Sois deuses?
35 Pois, se a lei chamou deuses àqueles a quem a palavra de Deus foi dirigida (e a Escritura não pode ser anulada),
36 Àquele a quem o Pai santificou, e enviou ao mundo, vós dizeis: Blasfemas, porque disse: Sou Filho de Deus?
37 Se não faço as obras de meu Pai, não me acrediteis.
38 Mas, se as faço, e não credes em mim, crede nas obras; para que conheçais e acrediteis que o Pai está em mim e eu nele.

6. Jesus retirou-se de Jerusalém para além do Jordão. . 39-41.
Jesus foi lá para escapar da mão deles e não apareceu de novo em Jerusalém até os últimos dias da sua vida.

39 Procuravam, pois, prendê-lo outra vez, mas ele escapou-se de suas mãos,
40 E retirou-se outra vez para além do Jordão, para o lugar onde João tinha primeiramente batizado; e ali ficou.
41 E muitos iam ter com ele, e diziam: Na verdade João não fez sinal algum, mas tudo quanto João disse deste era verdade.


Vamos Recapitular:

Na noite de sua agonia, e poucas horas antes de sua paixão, o Senhor Jesus , no cap. 17 do evangelho de João, proferiu o que tem sido comumente chamado, há quase cinco séculos pelos cristãos ,

“de Oração Sacerdotal do Senhor”, pois nela o Senhor ora por: Sua própria glorificação, proteção, santificação, unidade, e glorificação definitiva dos crentes.

Ao perscrutar esse belíssimo capítulo de João 17, Filipe Melanchton (1497-1560), alemão, teólogo da reforma, amigo de Lutero, conseguiu expressar o ponto de vista que os servos de Deus, em todos estes séculos de cristianismo, possuem a respeito dessa passagem bíblica: “nenhuma voz já se ouviu na terra, ou no céu, com maior arrebatamento, nem mais santa, mais frutífera, mais sublime, do que a do próprio Filho de Deus nesta oração”.

O texto de João 17 apresenta ainda argumentos incontestáveis acerca da deidade de Cristo. Por esse motivo, vários grupos religiosos heréticos do passado e do presente, esforçam-se arduamente para pervertê-lo.

É bem provável que você tenha ouvido inúmeras vezes elas citarem João 17: 3 em conexão com o oferecimento de um “um estudo grátis da Bíblia”.

Por essa razão, é importante que conheça o principal engano que cometem acerca desse texto. Isso auxiliará a compreender o conceito de salvação adotado –“... “O conhecimento” conduz a vida eterna....”

Tradução Fidedigna
João 17:3 “... que te conheçam, o único Deus verdadeiro...”

outra tradução:
João 17:3
“... que absorvam conhecimento de ti, o único Deus verdadeiro,...”

Por que essa tradução esdrúxula do verbo grego – ginosco (conhecer) por “absorver conhecimento?

O Que Significa “Absorver Conhecimento de Deus e de Jesus”,

Tentando sustentar esta inserção (como usualmente costumam fazer com outros versículos que depõem contra suas doutrinas), citando fora do contexto vários eruditos bíblicos, com o intuito de dar um toque de erudição a sua forma “racionalista e incorreta” de ver o versículo.

W. E. Vine em a Expository Dictionary of New Testament Words, VII p. 297 a 299, onde “GINOSKO significa estar assimilando conhecimento, chegar a conhecer, entender completamente.”

Assim, estão limitando a definição e uso do vocábulo, que é analisado por W. E. Vine nas páginas seguintes, forçando a noção de que o conhecimento mencionado no versículo é meramente doutrinário; entretanto, o dicionarista W. E. Vine, na página 298 da obra mencionada continua: “No N.T. Ginosco freqüentemente indica uma relação entre a pessoa que está conhecendo e o objeto conhecido...” Vine prossegue: “Tal conhecimento é obtido não por mera atividade intelectual, mas pela operação do Espírito Santo resultante da aceitação de Cristo.”

O conhecimento a que João em seu evangelho se reporta é portanto espiritual; é travar um relacionamento íntimo e pessoal com Deus, compreendendo amor, apreço e comunhão (I Jo 4:7,8). Naturalmente, esse texto implica ter algum conhecimento doutrinário, mas a ênfase que encontramos é decididamente diferente das suposições racionalistas apresentadas.

Outro ponto fundamental que encontramos nesse versículo é que tal conhecimento é revelado e personificado em Jesus Cristo. Ele mesmo é Deus manifestado na carne (Jo 14: 6-9; I Jo 2.23). Conhecimento do Revelador é o mesmo que o conhecimento do Deus que é revelado. Formidável é a reflexão que Robert Bowman, em seu livro (“Por que Devo Crer na Trindade”, p. 127, 128, Editora Candeia, 1996) faz de João 17:3. Ele diz: “Isso seria estranho se Jesus fosse simplesmente o mais sublime entre todos os seres criados, mas apropriado se, conforme já comprovamos, Jesus é Deus... Se o Filho fosse uma criatura, deveria ser possível conhecer a Deus à parte daquela criatura. Mas ninguém o pode, porque Jesus é Deus.” É impossível conceber como o mensageiro podia ser um Revelador adequado de uma pessoa, de cuja natureza não participa.

Resumindo:

Passam longas horas na busca do “conhecimento exato”, lendo e relendo as palavras de seus líderes, “sempre aprendendo, mas nunca são capazes de chegar ao conhecimento da verdade” (II Tm 3.7).


carlos.fiuza



 
 Respond to this message   


(Login tec.fiuza)
Membro VIP

Re: A VARA DE AARÃO FLORESCE

August 17 2008, 11:28 AM 

Interessante!

Uma síntese da síntese.

( Parte 1)

A Carta à Igreja de Filadélfia - Aquela com uma Porta Aberta ( Ap.3: 7-13)

7 E ao anjo da igreja que está em Filadélfia escreve: Isto diz o que é santo, o que é verdadeiro, o que tem a chave de Davi; o que abre, e ninguém fecha; e fecha, e ninguém abre:

8 Conheço as tuas obras; eis que diante de ti pus uma porta aberta, e ninguém a pode fechar; tendo pouca força, guardaste a minha palavra, e não negaste o meu nome.

9 Eis que eu farei aos da sinagoga de Satanás, aos que se dizem judeus, e não são, mas mentem: eis que eu farei que venham, e adorem prostrados a teus pés, e saibam que eu te amo.

10 Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra.

11 Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa.

12 A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, e dele nunca sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Deus, e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, do meu Deus, e também o meu novo nome.

13 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.


Carta à Igreja em Laodicéia. ( Ap. 3: 14-22)

14 E ao anjo da igreja que está em Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus:

( Princípio da criação de Deus (Ap 3.14): significado da “origem da criação” (Cl 1.16,17; Hb 1.3); não significa o primeiro de uma série, mas o “meio” de criação; )

15 Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente!

16 Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.

17 Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;

...................


O Ponto Positivo:

É interessante notar que existem muitas referências positivas à essa igreja. Ela não recebe críticas do Senhor que, ao contrário, coloca diante dela "uma porta aberta que ninguém pode fechar". Cristo sabe que "a igreja por si só é fraca", "tens pouca força", diz Ele. A igreja, porém, “estava sendo fiel”.

Filadélfia era conhecida como "a cidade missionária", pelo fato de ter sido fundada para fomentar a civilização greco-asiática e o idioma e os costumes gregos na regiões orientais da Lídia e da Frigia. A "porta aberta", portanto, era uma referência à possibilidade da igreja de Filadélfia compartilhar da vocação cultural da cidade e desenvolver uma estratégia missionária própria, de proclamação do “Evangelho de Jesus”.

A Promessa:

Por terem agido com fidelidade, Cristo promete aos crentes de Filadélfia, sua graça sustentadora nas tribulações que se abateriam sobre todo o mundo.
Tal tribulação não os venceria (v10). Aquela igreja é encorajada com a próxima vinda do Senhor. Várias outras promessas são ainda declaradas (v12) aquele que for fiel: "Ao vencedor, farei dele coluna no templo do meu Deus", numa alusão a sobrevivência da igreja fiel. A cidade de Filadélfia ficava em uma região sujeita a terremotos e por isso, os crentes dessa cidade entenderiam muito bem o significado ou valor de uma coluna. Cristo estava dizendo que, apesar dos terremotos das perseguições, os fiéis seriam como colunas inabaláveis de um templo indestrutível.

Continua...

Graça e Paz vos sejam multiplicadas, pelo conhecimento de Deus, e Jesus nosso Senhor!

Fraterno abraço, carlos.fiuza

 
 Respond to this message   


(Login tec.fiuza)
Membro VIP

Re: A VARA DE AARÃO FLORESCE

August 18 2008, 7:26 AM 

( Final )

4º - Todo crente genuíno deve batalhar por essa fé.

A carta de Judas não foi escrita para pastores ou teólogos, mas foi escrita para todos os santos. Por conseguinte, o dever de batalhar pela fé não pertence exclusivamente aos pastores ou doutores, não, batalhar pela fé é um dever de todo o crente salvo em Jesus Cristo. Entretanto, para batalharmos bem teremos que nos preparar bem e o próprio escritor nos dá as diretrizes.

Edificando a fé;

Devemos perscrutar as sagradas escrituras de maneira incansável. Jesus disse:
“Porventura não errais vós em razão de não conhecerdes as Escrituras nem o poder de Deus?” Marcos 12:24

Estudem! Meditem! Edifiquem! Cresçam! Deus lamenta através das palavras do profeta Oséias, dizendo:
“O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento.” Oséias 6:4

A melhor defesa da fé é conhecer a própria fé que professamos.

Orando no Espírito Santo

Devemos ter em mente que a batalha da fé envolve muito mais que mero esforço intelectual.
É mais que isto precisamos alargar nossa visão e enxergar não somente as suas conseqüências, mas a verdadeira causa do desvio doutrinário.
Notemos que as Sagradas Escrituras assevera dizendo que nossa batalha é espiritual,

“pois não é contra carne e sangue que temos que lutar, mas sim contra os principados, contra as potestades, conta os príncipes do mundo destas trevas, contra as hostes espirituais da iniqüidade nas regiões celestes.” Efésios 6:12

As falsas doutrinas e heresias sempre partem do coração humano pois é lá que se encontra o depósito de todo este tipo de males [Marcos 7:20-23].

A heresia é obra da carne [Gálatas 5:20]; de procedência demoníaca [I Timóteo 4:1].
Portanto urge rememorar que a oração é parte indispensável para um hábil apologista como também para qualquer crente a fim de que possamos batalhar.

No que se refere à batalha propriamente dita, Judas instruiu:

“E apiedai-vos de alguns que estão na dúvida,e salvai-os, arrebatando-os do fogo; e de outros tende misericórdia com temor, abominação até a túnica manchada pela carne.” (v. 22,23)

Pelo menos duas coisas são evidentes nessa instrução:

1) batalhar às vezes envolve um esforço intelectual para que seja mudada a maneira de pensar da outra pessoa;

2) batalhar às vezes envolve repreensão moral.

Na realidade, essas coisas andam juntas: um esforço para mudar a maneira de pensar e um empenho para mudar a moralidade.

Batalhar pela fé nunca é simplesmente um esforço acadêmico, assim como nunca é apenas um exercício mental; visto que a fonte de todas as falsas doutrinas é o orgulho do coração humano e não a fraqueza de sua mente.

Essa é a razão por que Judas nos exorta a crescer na fé orando e permanecendo no amor de Deus, antes de batalharmos pela fé.

Viver a fé é o melhor argumento que os crentes possuem em favor da fé. Daí a sugestão imperativa de Pedro:

“antes santificai em vossos corações a Cristo como Senhor; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a todo aquele que vos pedir a razão da esperança que há em vós” I Pedro 3:15

“A maneira como você luta é tão importante quanto o conteúdo de seus argumentos. Você pode vencer com sua lógica e perder com a vida.”

Graça e Paz vos sejam multiplicadas, pelo conhecimento de Deus, e Jesus nosso Senhor!

Fraterno abraço, carlos.fiuza

“Fala, Senhor, porque o teu servo ouve” (1Sm3:9)

 
 Respond to this message   


(Login tec.fiuza)
Membro VIP

Re: A VARA DE AARÃO FLORESCE

August 18 2008, 7:28 AM 

Houve um engano, desculpem !

 
 Respond to this message   


(Login tec.fiuza)
Membro VIP

Re: A VARA DE AARÃO FLORESCE

August 18 2008, 7:30 AM 

(Parte 2)

Entre as sete (7) cartas às igrejas no “Apocalipse”, encontramos duas que não contêm nenhuma crítica:

- A carta à igreja em Esmirna, uma congregação pobre que enfrentava perseguição,
- e a carta à igreja em Filadélfia.

A Igreja em Filadélfia é caracterizada por:

1-Obras

2-pouca força

3-guardava a Palavra de Deus

4-não negou o nome do Senhor Jesus, como Redentor, Salvador.

5-Os da sinagoga de Satanás vão prostar-se aos seus pés e saber que o Senhor a tem amado,

(Quando o Senhor Jesus disse para Filipe: “Quem me vê a mim, vê o Pai.” (Jo.14:9) Ele queria e quer, da mesma forma , os “filhos das trevas” possam vê-Lo, através de Seus seguidores. Mas para que isso possa acontecer é preciso que os Seus seguidores sejam santificados.
E para que sejam santificados, tem de “obedecer e praticar a Palavra de Deus”, pois uma cousa depende da outra. A igreja de Filadélfia era perseverante, mesmo cercada pelos que se declaravam “judeus e não eram”, ou seja, pelos falsos cristãos, membros das sinagoga de satanás.)


6-e, finalmente, guardou a palavra da perseverança do Senhor Jesus.

“Essas coisas diz o Santo, o Verdadeiro, Aquele que tem a chave de Davi, que abre e ninguém fechará, e que fecha e ninguém abre...”


Em cada identificação que o “Senhor Jesus Cristo glorificado”, dá a Si mesmo para cada Igreja (7), mostra os diferentes aspectos da Sua Pessoa e determina a natureza da Igreja a que Se dirige.

Assim, na Sua identificação para com Filadélfia, entendemos que ela tem pouca força, mas Aquele que tem a chave de Davi,tem o controle do poder para determinar quem entra ou não no Reino de Deus.
Contudo, não importa se a força é pequena ou grande, pois isto jamais influenciará na condição de se poder conquistar,

“desde que se mantenha o firme propósito de praticar e obedecer a Palavra de Deus”.

Essa igreja pode representar aqueles cristãos, que mesmo devido à sua condição de fraqueza de ordem material ou cultural, como falta de condições financeiras e grandes conhecimentos teológicos, ou ordem espiritual, como a falta dos dons do Espírito Santo, ainda assim apresentam obras para Deus.

Paulo tinha fraquezas e pediu três vezes a Deus que a retirasse dele.
Mas o Senhor respondeu:

9 E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo. (2 Cor. 12: 9)

Continua...

Graça e Paz vos sejam multiplicadas, pelo conhecimento de Deus, e Jesus nosso Senhor!


Fraterno abraço, carlos.fiuza

 
 Respond to this message   


(Login tec.fiuza)
Membro VIP

Re: A VARA DE AARÃO FLORESCE

August 19 2008, 6:59 AM 

( Final )

Resumindo:

A plenitude da autoridade do Senhor Jesus Cristo dada por Seu Pai é capaz de abrir toda e qualquer porta para quem deseja e quer submeter-se a Ele, e obediência à Sua Palavra.
Ele, a Raiz de Davi, tem a chave de Davi, ou seja, a chave do Rei dos reis.
E somente Ele pode abrir a porta da vida eterna, que ninguém pode fechar; e que fecha , que ninguém pode abrir. Ele tem o poder sobre a vida, a morte e o inferno.

17 E eu, quando vi, caí a seus pés como morto; e ele pôs sobre mim a sua destra, dizendo-me: Não temas; Eu sou o primeiro e o último;
18 E o que vivo e fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém. E tenho as chaves da morte e do inferno. (Ap. 1: 17 -18)

“...não compreendeis que a amizade do mundo é inimiga de Deus?"

Nem sempre a culpa é do mundo, se ele zomba da mensagem do Evangelho, mas daqueles que pregam para os outros, porém eles mesmos não praticam o que pregam.

E daí sua mensagem se torna INSOSSA, SEM VIDA, SEM PODER E SEM AUTORIDADE.

Quando Sodoma estava por ser destruída, Ló tentou, por insistência dos anjos, transmitir a mensagem da salvação aos seus futuros genros:

“Acharam, porém, que ele gracejava com eles” (Gn. 19:14).


Sinceramente é lamentável e muita indignação.....
Só podemos orar, orar, orar,orar, orar.......

Como uma igreja ou um cristão quer ter uma “porta aberta” em pregar o Evangelho se estão amarrados a “vícios, enganos e outras coisas mais?”

E a eles, entre outros , o Senhor disse:

(MATEUS 23:15)

“Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que percorreis o mar e a terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o fazeis filho do inferno duas vezes mais do que vós.”

(Mateus 23: 27-28)

27 Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda a imundícia.
28 Assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas interiormente estais cheios de hipocrisia e de iniqüidade.

(Deuteronômio 18:20-22)

20 Porém o profeta que tiver a presunção de falar alguma palavra em meu nome, que eu não lhe tenha mandado falar, ou o que falar em nome de outros deuses, esse profeta morrerá.
21 E, se disseres no teu coração: Como conhecerei a palavra que o SENHOR não falou?
22 Quando o profeta falar em nome do SENHOR, e essa palavra não se cumprir, nem suceder assim; esta é palavra que o SENHOR não falou; com soberba a falou aquele profeta; não tenhas temor dele.


Entendo que:

Tenho que concordar que a ”liberdade” tem-se confundido com a promiscuidade de forma sem limites, e somam-se a essa degradação moral as centenas....

E exatamente nesse aspecto que o "inimigo" tem obtido "temporariamente" vantagens sobre a humanidade,

pois sabe que o espírito humano alicerçado fortemente na Palavra de Deus e sua obediência dará condições para a sua alma e corpo.

Essa distração é uma da razões por que o quadro espiritual das igrejas simbolizam as “religiões” da atualidade e vivem esse inverno espiritual.

Orai e Vigiai, pois o dia está próximo, e logo Ele Vem!
Louvado seja o nome do Senhor Jesus!


Graça e Paz vos sejam multiplicadas, pelo conhecimento de Deus, e Jesus nosso Senhor!

Fraterno abraço, carlos.fiuza



 
 Respond to this message   


(Login tec.fiuza)
Membro VIP

Graça e Paz

January 29 2011, 10:22 PM 

Prezado Beto Chaves.

A paz de Deus meu irmão em Cristo!

Em atenção a vossa participação acima:

participativa

"Irmão, a paz de nosso senhor Jesus Cristo.li por "Deuscidência" seu comentário sobre o "restitui",no começo quis concordar mas algo no meu coração me questionava, o irmão que compôs esta canção deve ter feito em tempo de oração por conta de que a mesma toca milhares de corações, portanto refleti e agora peço tua análise. Quando se canta restitui logo em seguida canta-se também que os planos que foram embora e o sonho que se perdeu, o que era festa e agora é luto.... ...não podes pensar que este é teu fim não é o que DEUS planejou... veja quando se canta restitui o que se entende, quando analisando todo contexto da letra, é que o que se pede é a restituição exatamente daquilo que o senhor deu e nós "perdemos" e não como o filho pródigo que exigiu sua parte, creio que cantando assim estamos dizendo Senhor estou de volta pra viver o que o Senhor tem pra mim, eu acredito que Tu tens o poder de restaurar minha vida e de restituir tudo o que me destes e eu perdi.gostaria de vossa opinião a esse raciocinio.que o senhor o abençoe e te guarde, e que Maria a Mãe de nosso Senhor interceda por todos nós."

abraço.lac123551


Um entendimento... na letra da música.

Penso que o texto em seu contexto e auto-explicativo.
Na ocasião foi sugerido, essa formulação, em virtude de réplicas que ocorria alternadamente por aqui, coisa do passado...

Uma síntese da síntese:

Como seremos capazes de exigir ou pedir uma restituição pela parte de Deus?

existe algo de nossa propriedade com Deus para tal, se tudo que temos e precisamos recebemos de "graça" pela graça!

Graça é dádiva imerecida. Portanto, não temos direito a nada, pois tudo o que recebemos das mãos de Deus é resultado de sua amorosa graça, do seu amor Ágape.

Podemos ter um ponto de partida!

Apesar de ser evangélico, eu sinto muito, mais essa letra é um tanto perigosa , suspeita mau, diante de um humilde estudante que busca aprofundar-se no entendimento da "Palavra de Deus" e no Evangelho de Jesus Cristo.

O Cristão, que teme ao Senhor, deve estar preocupado em seguir a máxima:
Amar à Deus sobre todas as coisas e ao teu próximo como a si mesmo.
Então o que seria o que é... meu???

O contexto na letra parece ser voltado para as pessoas que perderam alguma coisa que gostavam muito... "?" mesmo se for o amor por Deus... tal apelo, justifica-se?

Não trata-se de restaurar ou restituir, pois quando, pelo livre-árbitrio, há o síncrono e direcionamento para com Deus, num desejo sincero, passamos a ser herdeiros...
e entramos na graça que é de "graça".

O salário do pecado é a morte, então, o que os pecadores teriam de fato por "direito" seria a morte.

Por isto, o profeta Jeremias diz que as misericórdias do Senhor são o motivo de não termos sido consumidos (Lm 3:22).

E diz mais ainda em 3.39:
"Do que se queixa o ser vivente? Queixe-se cada um dos seus próprios pecados".

A letra da música retira a humildade das pessoas, que passam a exigir de Deus ao invés de confiar e esperar na Sua graça e misericórdia.

O projeto de Deus, para o homem caido, sempre foi a salvação, e esse plano nunca foi embora ou se perdeu.

“A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo seja com todos vós” (2 Coríntios 13:14).

Um fraternal abraço, carlos.fiuza

----------------------------------------------------------------------
“Oremos pelos que buscam Deus com paixão infinita , a fim de que Deus mesmo lhes dê o conhecimento da verdade em Jesus.
Oremos por aqueles que se ajoelham diante de Jesus, para que Deus lhes dê a paixão infinita.”

Pai, na Pessoa do Seu Santo Espírito, venha iluminar nossos corações, na meditação de Sua Revelação, em nome de Jesus, Amém.
----------------------------------------------------------------------

 
 Respond to this message   
Current Topic - A VARA DE AARÃO FLORESCE
  << Mensagem Anterior | Próxima Mensagem >>Voltar ao Índice  
Create your own forum at Network54
 Copyright © 1999-2014 Network54. All rights reserved.   Terms of Use   Privacy Statement